Sunday, March 12, 2006

Descartes e Matrix

Acabo de colocar à disposição mais uma ótima análise filosofica do filme Matrix: "Matrix, cepticismo e o valor da realidade", de Desidério Murcho. Assim como o texto que já estava online anteriormente (" A Matrix enquanto hipótese metafísica", de David Chalmers), trata-se de uma apresentação bastante acessível e interessante, que traça paralelos entre pontos fundamentais do filme e argumentos clássicos de filósofos como René Descartes, George Berkeley e Hilary Putnam. Colocarei cópias desses dois textos na pasta terça-feira antes da aula, juntamente com um outro capítulo sobre Matrix. Também estarei deixando na pasta, nesse mesmo dia, uma cópia das Meditações I e II de Descartes. Apresentarei o argumento de Descartes nas Meditações logo depois de terminar com a parte introdutória (provavelmente quinta-feira, dia 16), e sugiro aos cinéfilos e amantes de ficção científica de plantão que pensem na idéia de preparar uma apresentação acerca da filosofia de Matrix, traçando paralelos com o argumento das Meditações. Há bastante tempo para preparar essa apresentação (uma semana e meia ou duas, conforme o andamento do curso), e, além dos textos que já citei, há muito mais recursos na internet, basta procurar (o Google é seu amigo ;-) ).

Para acompanhar as aulas, proponho o seguinte cronograma de leituras:

1. "Vida e Obra" de Descartes (que já está na pasta);
2. Meditações I e II;
3. Texto de Adam Morton ("Descartes: da dúvida à certeza");
4. Textos sobre Matrix.


Abraços a todos

1 comment:

ADRIAN said...

Me lembro que sugeri para o professor de filosofia do 2º grau que fossemos ver esse filme quando ele estava passando nos cinemas. O colégio fazia parcerias com o cinema e os alunos pagavam bem menos.
Mas esse professor não mexeu nenhum dedo.